Buscar

Você conhece a capacidade de pagamento de sua empresa?

Manter a sustentabilidade financeira de uma empresa é um fator imprescindível para se consolidar a longevidade de qualquer modalidade de negócio. Dentro desse conceito, o gestor financeiro deve conhecer muito bem qual é a capacidade de pagamento que a empresa possui, não apenas para garantir a valorização da marca, mas principalmente, para assegurar a sua liquidez das dívidas e obrigações a curto, médio e longo prazo. Esse mesmo princípio se aplica às operações de créditos concedidos aos clientes, afinal, ao se consolidar uma venda, que certeza a empresa terá de que o cliente conseguirá pagar o que deve?


O que é a capacidade de pagamento de uma empresa?

Para uma melhor compreensão deste assunto, devemos entender primariamente que a capacidade de pagamento é o conjunto de indicadores financeiros que mostra se a empresa conseguirá, ou não, honrar suas obrigações e dívidas, e são conhecidos como índices de liquidez.


Em termos simples, “Liquidez” corresponde à capacidade de converter um ativo em dinheiro, sendo a melhor situação para o gestor o alcance de maior velocidade nessa transformação, pois quanto maior for a velocidade de conversão, melhor será o resultado.


Sabendo que a liquidez está diretamente relacionada com os fatores de insolvência, esses índices, portanto, representam a capacidade que a empresa possui para honrar, de maneira digna e tranquila, suas dívidas e obrigações financeiras com funcionários e terceiros.


Isso significa dizer que uma liquidez inadequada pode representar problemas no fluxo de caixa, comprometendo toda a estrutura do capital. Recomenda-se o controle e análise de um conjunto de índices de liquidez traduzidos em quatro modalidades distintas:


a) índice de liquidez imediata;


b) índice de liquidez corrente;


c) índice de liquidez seca e


d) índice de liquidez geral.


O Cálculo de cada índice proporciona um olhar analítico com múltiplas variáveis para o quadro geral de diagnósticos financeiros da empresa.


Entretanto, vale lembrar que, isoladamente, esta análise não será suficiente para sintetizar um quadro completo da real situação financeira de uma empresa, pois seria necessária a ajuda de outros importantes elementos de análise, como o grau de endividamento; a rentabilidade do ativo e do patrimônio líquido; a participação do capital de terceiros na estrutura do capital; a escala de insolvência e o ciclo financeiro e operacional da empresa.


Como certeza, conhecer os índices de liquidez garantirá ao gestor a tranquilidade e a certeza de uma boa gestão.


RINALDI CORRÊA

Bacharel em Administração de Empresas. Doutorando e Mestre em Administração pela Universidade Metodista de Piracicaba. Pós-graduado em Gestão Estratégica de Empresas e Negócios e em Didática do Ensino Superior. Trabalhou 28 anos em empresas de capital americano, alemão, francês e nacional. Professor universitário e coordenador. Atua em programas de pós-graduação em Gestão de Negócios, Controladoria e Finanças e Gestão Estratégica de Pessoas. Palestrante e consultor empresarial com ênfase em micro e pequenas empresas.


Fonte: Gennegociosegestao.com.br/

Posts recentes

Ver tudo

Ganhos ou perdas de capital na determinação do lucro

(…) nesse contexto que aparecem as diretrizes constitucionais para a tributação da “renda” pelo legislador da União, vocábulo (“renda”) que, na perspectiva da pessoa jurídica, é traduzido pelo conceit

© 2020 - Contador SC.