Buscar

Por que as ações oscilam tanto? Descubra agora!

Os investimentos em ações na bolsa de valores costumam sofrer muitas variações – graças ao sobe e desce dos preços dos ativos. Mas você sabe por que as ações oscilam tanto?


Essa dúvida fica na cabeça dos investidores. Poucos imaginam o que está por trás do valor de uma ação e os fatores que influenciam no seu preço. Inclusive, já até fiz um vídeo sobre esse assunto, comentando a parábola de Benjamin Graham sobre o Sr. Mercado.


Mas, como essa questão é bem recorrente, resolvi respondê-la nesse artigo. Afinal, por que o valor das ações sobe e desce? Continue a leitura do texto e descubra!


Como é definido o preço de uma ação?

Antes de falar sobre as oscilações das ações, preciso deixar claro como funciona a precificação das ações no mercado financeiro. O processo inicia-se com uma empresa de capital aberto (as chamadas S.A.) disponibilizando suas ações no mercado.


Ações nada mais são que uma pequena parte da empresa. Essas frações representam um pedaço do capital social dessa sociedade anônima.


Logo, se você compra a ação de uma determinada companhia na bolsa de valores, automaticamente se torna um acionista – um sócio dela. Estas empresas, por outro lado, disponibilizam suas ações no mercado para conseguir arrecadar recursos financeiros para as mais diversas finalidades.


Mas e a precificação, como fica? O valor da ação depende do futuro da companhia.


Ou seja, as empresas que disponibilizam suas ações na bolsa projetam o quanto terão de caixa futuro na empresa (e nisso incluem-se receita, custos, investimento, amortizações, dentre outros fatores). Com o custo estimado, utilizam-no para estabelecer o valor da ação, chegando ao preço estimado de cada papel.


Quais os fatores que fazem o preço de uma ação subir ou cair?

O valor de uma ação, no entanto, nem sempre é o mesmo. O mercado acionário é conhecido exatamente por ter oscilações no valor das ações que são negociadas e na constante variação no lucro – ou perda – para os investidores.


Diversos fatores contribuem para isso, como o apetite dos investidores pela compra e venda de um determinado ativo – ou seja, a oferta e demanda, o cenário econômico, notícias e as especulações e expectativas. Explicarei melhor alguns destes fatores logo abaixo.


Apetite dos investidores pela compra e venda

O preço das ações sofre influência do apetite dos investidores que compram e vendem ações. Quando há muitos compradores interessados em pagar por uma ação de uma empresa, o valor dela subirá.


Nesse caso, provavelmente quem tem ações dessa empresa para vender aumentará o preço deste papel justamente por conta da alta demanda.


Por outro lado, caso haja muitos vendedores que desejam desfazer-se das ações de uma empresa, o valor cairá.


Imagine-se na seguinte situação: você e mais diversos acionistas têm ações da empresa Y e todos desejam vendê-las. O que iria acontecer? O valor das ações recuaria devido ao excesso de oferta.


Na prática, quando há muita oferta e pouca procura por determinadas ações, os vendedores acabam aceitando vendê-las por um valor mais baixo em vez de continuar com a ação. Por outro lado, quando a demanda é alta, os preços sobem.


Essa é a lei da oferta e da demanda.


Cenário econômico

Investir no mercado acionário envolve conhecer o básico de economia para entender o cenário macroeconômico.


Isso significa que, quando você o estuda, precisa buscar entender os fenômenos econômicos e assuntos relacionados à formação de preço, taxa de juros, inflação, crescimento ou recuo de determinado setor do mercado, por exemplo, entre outras questões.


Mas por que é importante entender tudo isso? Simplesmente porque o cenário econômico, assim como o ambiente político, podem afetar não só o mercado de uma forma geral, mas também diversas empresas e setores de comércio e serviço.


Quando a economia está aquecida, por exemplo, as ações podem ter valorização e a bolsa de valores consegue atrair mais investidores. Por outro lado, quando a economia não está bem, os investimentos podem cair, bem como o preço dos ativos. Contudo, isso nem sempre é regra.


Inclusive, se quiser entender um pouco mais sobre como a economia funciona, convido-lhe a assistir a playlist de alguns vídeos curtos que fiz para meu canal sobre o assunto. Clique aqui para acompanhá-los.


Seja qual for o caso, é sempre indicado procurar entender a respeito desses assuntos. Assim, você estará sempre preparado para identificar boas oportunidades de investimento no mercado financeiro.


Notícias

Notícias não só informam, mas também influenciam mudanças – inclusive no mercado acionário e nos investimentos.


No mercado financeiro, é importante que você saiba que existem as notícias programadas – como a divulgação de balanços empresariais, por exemplo – e as breaking news, que tratam de acontecimentos urgentes e inesperados. Ambas podem afetar o valor das ações.


Darei um exemplo simples para você entender melhor. Vamos supor que a empresa X tenha um valor de mercado estimado em R$100 milhões.


Assim, se uma notícia informando que a empresa teve um crescimento em um determinado período – o que pode impactar no seu valor de mercado no futuro – estimado, por exemplo, em R$ 120 milhões, o valor das suas ações pode subir como consequência desta informação.


O contrário, no entanto, também pode ocorrer – e uma companhia pode ver suas ações recuarem na bolsa caso as notícias corporativas sejam negativas.


As notícias afetam tudo: a opinião popular, setores de serviços e influencia o modo de vida das pessoas. Não é de se espantar que influenciem o mercado financeiro e o valor das ações também.


Mas cuidado! O mercado costuma precificar os eventos antes que virem notícias. Você já deve ter escutado a frase: “O mercado já precificou”, ou “Isso já está no preço”. Investidores profissionais fazem uma análise mais profunda dos eventos para tomar suas decisões. Operar o mercado no curto prazo com base em notícias costuma ser muito arriscado.


Especulações e expectativas

O mercado de ações vive oscilando por conta das expectativas e das especulações. Isso porque há diversos investidores, traders, gestores, corretoras e outros participantes do mercado observando as expectativas e os resultados de determinadas empresas para saber se investem ou não nestas companhias.


Ou seja, como havia dito no início do artigo, há sempre muita especulação sobre o futuro da empresa para decidir sobre os investimentos no presente. Quem investe na bolsa de valores precisa ter em mente, portanto, que está inserido em um meio onde não há certezas, mas sim expectativas e especulações.


Conclusão

Então, por que as ações oscilam?


O valor das ações oscila por diversos motivos, como a oferta e demanda, noticias e, inclusive, por inúmeros fatores externos e por especulações. Seja qual for o caso, é fundamental que o investidor entenda que estas variações são perfeitamente normais no âmbito da renda variável.


Se você pretende investir em ações, portanto, o ideal é não ter receio das oscilações e buscar entender ao máximo como a bolsa de valores funciona e o que pode afetar seus rendimentos.


Somente a partir deste conhecimento será possível fazer melhores decisões de investimentos ao longo do tempo. E compor uma carteira de investimentos mais adequada aos seus propósitos.


Fonte: Josekobori.com.br/

© 2020 - Contador SC.