Buscar

O que são e como funcionam os dividendos?

Quem investe na bolsa de valores deve ter alguma noção sobre o conceito de proventos – e, sobretudo, o que são dividendos. Os dividendos são partes do lucro de uma empresa listada na bolsa distribuídas aos seus acionistas como uma forma de remuneração.


Grande parte das empresas estáveis financeiramente remunera seus acionistas por meio destes dividendos. O mais interessante é que receber estes proventos pode ser um interessante instrumento de obtenção de renda passiva.


É exatamente por causa disso que muitos investidores acabam sendo atraídos para ações que remuneram dessa forma. E, como se trata de um assunto que chama a atenção dos investidores, decidi explicar melhor neste artigo o que são e como funcionam os dividendos.


Continue a leitura e saiba mais!


Como funcionam os dividendos?

Os dividendos são, como você já sabe, parte dos lucros das empresas listadas na Bolsa de Valores, que são distribuídos aos acionistas para remunerá-los em conformidade com a quantidade de ações que cada investidor possui.


Assim, em situações nas quais as empresas que fazem parte da sua carteira de ações apresentam bons resultados financeiros em um determinado período, parte dos lucros pode ser distribuído a você, sob forma de proventos.


É importante salientar, entretanto, que não há lei que define o quanto as empresas devem distribuir de lucro para os acionistas. O pagamento de dividendos é definido no estatuto da companhia, embora seja comum que ao menos 25% dos lucros seja repartido entre acionistas.


Quais são os tipos de dividendos existentes?

Como são remunerações comuns no mercado acionário brasileiro, existem diferenciados tipos de dividendos. Confira alguns deles a seguir.


Dividendo especial

Geralmente é pago em momentos eventuais e inesperados, como um grande aumento no caixa da empresa, por exemplo.


Juros sobre capital próprio

Semelhante ao dividendo comum, é uma forma de pagamento que modifica a contabilidade da empresa.


Não tem isenção de IR, que é retido na fonte – ao contrário dos dividendos comuns que, por enquanto, são isentos de Imposto de Renda.


Bonificação

Pagamento extra na forma de ações, levando em conta o número de ações que o investidor já possui.


Como é realizado o pagamento dos dividendos?

As empresas listadas na bolsa pagam dividendos para seus acionistas com frequências distintas. Mas, por que exatamente elas pagam esses dividendos?


Bem, os acionistas escolheram investir seu dinheiro na empresa, certo? Então o pagamento de proventos é uma forma de recompensá-los pelo montante aportado. Além disso, acaba sendo um atrativo interessante para quem busca por boas empresas para investir.


E como é realizado esse pagamento? Primeiro, é importante salientar que não há um cronograma fixo, ou seja, os pagamentos não são feitos em datas específicas ou de forma regular, tampouco é similar entre companhias distintas.


O pagamento de dividendos pode ocorrer trimestralmente, semestralmente ou anualmente ou ainda em período diferente. Como expliquei, tudo depende do que está previsto no estatuto das companhias.


Em geral, companhias já consolidadas, que não necessitam de constantes investimentos tendem a pagar melhores dividendos. É importante ressaltar, entretanto, que o pagamento de dividendos passa por todo um processo antes de ser pago ao acionista.


Inicialmente, o pagamento precisa ser aprovado pelo Conselho de Administração da empresa. Depois, essa decisão precisa ser protocolada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).


É esse protocolo que trará informações sobre como e quando os dividendos serão pagos aos acionistas. Somente após este processo os investidores saberão quando e de que forma serão remunerados pela empresa na qual investem.


Como os dividendos são calculados?

Os dividendos geralmente são calculados sob forma de valor por ação e apresentados sob forma de percentual e valor financeiro aos investidores. Dessa forma, cada acionista recebe um valor de acordo com a quantidade de ações que têm disponíveis na carteira.


Por exemplo, se um investidor tem 200 ações da Empresa X, que pagará R$1 de dividendo por ação, isso significa que ele receberá 200 x R$1, ou seja, R$200 em dividendos.


Agora imagine que o valor pago seja divulgado em porcentagem. Nesse caso, considere que as ações da Empresa X estejam sendo negociadas por R$10 e os dividendos previstos seriam de 10% por ações. O cálculo seria: 10 (valor da ação) x 200 (quantidade de ações) x 10% (percentual de dividendo pago) = R$ 200,00.


Contudo, em se tratando de dividendos, o investidor precisa entender um conceito importante: o Dividend Yield. Explicarei melhor sobre ele a seguir.


Dividend Yield (DY)

O DY é um indicador utilizado para medir a performance da empresa de acordo com os dividendos pagos aos seus acionistas. Mostra a relação entre os proventos pagos e o preço atual da ação da companhia – ou seja, o valor por ação que será distribuído.


Para chegar ao DY, é necessário dividir o provento anual por ação pelo preço individual de cada ação. Para exemplificar, imagine que a Empresa X tenha suas ações sendo negociadas a R$200 reais cada. A companhia definiu que pagará um dividendo anual de R$10 reais por ação. Assim, o cálculo seria: 10 ÷ 200 = 5%. Logo, o DY da companhia seria de 5%.


Saiba, contudo, que ter um Dividend Yield alto nem sempre é indicativo de bons lucros. DY elevados pode também mostrar que a empresa tem poucas chances de crescimento. Se o indicador for baixo, por outro lado, é possível que a empresa tenha maiores chances de crescimento.


Esta análise, portanto, precisa ser realizada sempre com muito cuidado pelo investidor.


Quais as vantagens do pagamento de dividendos?

Quem adquire ações que pagam dividendos pode se beneficiar pelas boas chances de rentabilidade no longo prazo – e, inclusive, pela oportunidade de aumentar seu patrimômio.


Isso porque, se reaplicados, estes rendimentos podem elevar seu capital aplicado e, consequentemente, alavancar seus ganhos e seu patrimônio ao longo do tempo.


Além disso, esta pode ser uma boa oportunidade para viver de renda passiva no futuro.


O segredo para se se beneficiar deste tipo de remuneração é buscar escolher boas empresas para investir, analisando seu histórico e seu potencial de pagamento de dividendos no futuro.


E, se o seu objetivo é, de fato, investir em empresas que pagam bons dividendos, é essencial seguir a estratégia de investimentos com foco em dividendos.


Conclusão

Neste artigo você aprendeu que dividendos são partes do lucro de uma empresa de capital aberto que são compartilhados com os acionistas. Para quem está á procura de investimentos que gerem renda passiva, fazer aportes em empresas que são boas pagadoras de dividendos pode ser, portanto, uma alternativa interessante de investimento no mercado de ações.


Fonte: Josekobori.com.br/

© 2020 - Contador SC.