Buscar

O ciclo de vida das empresas: O que é necessário saber?

Para empreender é necessário conhecer o ciclo de vida das empresas, afinal, o tempo é uma variável muito importante na consolidação de grandes negócios.


À medida que entendemos como funciona o ciclo de vida das empresas, podemos estruturar o nosso negócio, e definir estratégias claras para alcançarmos nossos objetivos.


Nesse sentido, o ciclo de vida das empresas é basicamente a linha temporal do nascimento das empresas, seguido pelo crescimento e pelo “inevitável” declínio das mesmas.


Em outras palavras, o ciclo de vida de uma empresa é o seu período de existência.


Mas antes de mais nada, vale a pena lembrar que o nascimento de um negócio se dá pela vontade de empreender e pelo desejo de mudança.


Por mais que em todas as mudanças existam riscos, são nesses cenários que novas oportunidades surgem.


Todavia, as oportunidades criadas trazem consigo grandes desafios e grandes responsabilidades.


Com isso, saber balancear e entender as fases de um negócio é essencial para fazê-lo crescer.


As fases que compõem o ciclo de vida das empresas são:

  • Abertura

  • Crescimento moderado

  • Crescimento acelerado

  • Maturidade

  • Declínio

A fase de abertura ou de lançamento

Nesse cenário, a abertura é o pontapé inicial.


Portanto, é o momento de estruturação das atividades e recursos da empresa.


Analogamente, a estruturação deve ser realizada de modo a potencializar os principais indicadores de saúde financeira, que são:

  • Vendas

  • Fluxo de caixa

  • Lucro

Quando se está introduzindo uma empresa no mercado, o foco deve ser, principalmente, no departamento de marketing e de vendas.


Ainda que as vendas possam se destacar, é bem provável que no início de um negócio, ocorram prejuízos devido aos altos custos de manutenção da empresa.


Contudo, o foco deve ser sempre no longo prazo.


É pela consistência dia após dia, que o joio é separado do trigo e somente empresas preparadas irão prosperar.


O crescimento moderado de empresas

Com toda certeza, negócios bem estruturados tendem a prosperar de forma mais rápida que empresas desgovernadas.


Dessa maneira, encontrar um ponto de equilíbrio é uma consequência natural.


Ademais, o ponto de equilíbrio de uma empresa é atingido quando os custos totais de manutenção do negócio se equiparam à receita que o negócio gera.


A saber, é a partir desse ponto, que a empresa efetivamente cresce.


Além disso, o crescimento se deve principalmente ao valor que está sendo agregado ao mercado.


Como consequência, as vendas passam a aumentar consideravelmente.


Dessa maneira, as dores de cabeças agora se encontram também divididas com a gestão do lucro e do fluxo de caixa do negócio.


O crescimento acelerado e a geração de lucro

No momento em que a máquina começa a funcionar por si só, o objetivo passa a ser expandir o negócio.


É nesse estágio que o crescimento é exponencial.


Com o intuito de se consolidar no mercado e ganhar market share , a empresa deve focar no desenvolvimento de novos produtos ou serviços.


O posicionamento de sucesso da empresa no mercado, permite a ela dosar os riscos

e ao mesmo tempo, prosperar de forma inteligente.


Como resultado, se torna referência na área de atuação, o que traz credibilidade a empresa, e possibilita o crescimento contínuo.


Nesse sentido, é preciso saber gerir enquanto as coisas estão positivas, afinal, nem tudo é eterno.


A maturidade de gestão e o possível declínio de grandes negócios

O crescimento de uma empresa é proporcional ao crescimento de um setor, e em ambos os casos, há um limite máximo de expansão.


Na fase de maturidade de uma empresa, as vendas não irão gerar tanto retorno como antes, pois, nesse estágio, o setor como um todo já está bastante desenvolvido.


Não só as vendas diminuem, como também o caixa e o lucro da empresa.


É preciso, novamente, saber gerir e se adaptar às novas demandas do mercado.


Buscar novos mercados e novas fontes de receita, talvez, seja uma decisão necessária para a manutenção das contas.


Caso contrário, o único destino para a companhia é o declínio.


Seja como for, o objetivo de uma empresa é se manter sempre em um estágio de crescimento.


Enfim, entender o ciclo de vida das empresas é bastante importante, uma vez que assim conseguimos planejar e gerir melhor nossos empreendimentos ao longo dos anos.


Luis Vabo Jr.

Vabo é especialista em People Skills, OPM pela Harvard Business School e mestre pelo COPPEAD/UFRJ, com extensão na EM Lyon Business School. Vendeu sua primeira startup antes dos 30 anos para o grupo B2W Digital e foi diretor da Stone Pagamentos. É CEO do Além da Facul, professor da Link School of Business e Empreendedor


Fonte: Além da Facul