Buscar

Lucro x riqueza: você sabe a diferença?

Investir em ações na bolsa de valores requer bastante conhecimento e preparo, para que o investidor não caia em armadilhas. Uma destas arapucas pode surgir, por exemplo, quando uma empresa divulga aumento dos lucros.


Investidores despreparados tendem a sentirem-se atraídos pelos bons números, mas a questão é que o mercado nem sempre entende um aumento nos lucros como algo positivo. É aí que o investidor que investiu em uma determinada empresa de maneira errada se assusta quando as ações tomam o rumo contrário ao que ele esperava.


O que explica isso são dois conceitos – que, apesar de distintos, são confundidos pelos investidores: o lucro e a riqueza. Ou, ainda, lucro contábil e lucro econômico.


Ao entender a diferença dos dois você poderá fazer uma análise melhor das empresas na bolsa de valores – e investir com muito mais assertividade. Confira mais sobre o assunto neste artigo!


Lucro e riqueza: entendendo o lucro

Tradicionalmente, o objetivo aparente de qualquer organização é obter lucro – que é essencial tanto para o sucesso do negócio quanto para sua sobrevivência.


Apesar de ser um objetivo de longo prazo, no entanto, a perspectiva do lucro é de curto prazo. Isso porque restringe-se principalmente à análise contábil do exercício (explicarei sobre isso adiante).


Portanto, de modo bem simplificado, a preocupação de uma empresa em ter lucro está essencialmente em possuir dinheiro em caixa para sobreviver e se manter no ambiente de negócios competitivo atual. Ou seja, sem necessariamente pensar no longo prazo.


Lucro e riqueza: entendendo a riqueza

A maximização de riqueza é uma meta de longo prazo e envolve vários fatores, tais como participação de mercado, produtos e serviços oferecidos, aumentos de vendas, etc. Ela se preocupa, principalmente, com o crescimento da empresa.


Desse modo, uma companhia que visa o aumento de riqueza tem a preocupação de dominar a maior fatia de mercado, a fim de alcançar uma posição de liderança. Além disso, para o conceito de riqueza o valor do dinheiro no tempo é importante.


Em suma, a maximização de riqueza consiste em aumentar valor aos stakeholders (e aqui entram os acionistas).


Diferenças entre lucro e riqueza

Considerando o que expliquei até aqui, observe o resumo abaixo:

  • Lucro é a capacidade da empresa em aumentar os ganhos, enquanto riqueza refere-se à capacidade em aumentar o valor de suas ações no mercado (e reforço que o primeiro desconsidera o valor do dinheiro no tempo).

  • Para que uma empresa sobreviva, ela precisa pensar em ações para maximizar seus lucros. Por outro lado, a maximização da riqueza acelera a taxa de crescimento da organização e visa atingir a máxima participação de mercado da economia.

  • Outra diferença entre lucro e riqueza que preciso destacar é que, se o lucro ignora riscos e incertezas e foca mais no curto prazo, a maximização da riqueza considera tanto os riscos quanto as incertezas e é uma meta de longo prazo.

Bom, mas a fim de que você possa entender melhor sobre as diferenças entre lucro e riqueza – e a importância de saber diferenciá-los, abordarei dois outros termos importantes e relacionados ao assunto: lucro contábil e lucro econômico.


Lucro contábil x lucro econômico

Situações como aquela que comentei no início deste artigo – nas quais empresas divulgam aumento de lucro, enquanto os acionistas veem o preço das ações despencarem sem compreender o que ocorreu– podem acontecer por diversos motivos.


Dentre estes motivos está o fato de que a empresa realmente deu lucro, mas foi um lucro contábil e não econômico.


Expliquei neste vídeo que o lucro contábil é apurado pelo regime de competência, o qual é encontrado no Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE). Neste tipo de regime todas as entradas e saídas da empresa são contabilizadas dentro do mês que ocorreu o fato gerador.


Isso significa que, se uma empresa vendeu um produto mas começará a receber por ele somente em 90 dias, o DRE apresentará o recebimento do pagamento no mês em que o produto foi vendido. Em outras palavras: o valor estará no DRE, mas não no fluxo de caixa.


O lucro contábil (que é o divulgado pelas empresas) é importante, pois permite uma avaliação mais precisa do funcionamento das operações de uma companhia e da viabilidade do negócio como um todo. Desse modo, se o objetivo for comparar duas empresas do mesmo setor ou fazer um comparativo de outros períodos da própria empresa, a análise do lucro contábil é adequada.


Avaliando a geração de riqueza

Todavia, para a avaliação da geração de riqueza, o lucro contábil não é o ideal por várias razões. As principais são que ele ignora os custos de oportunidade e não leva em consideração o valor do dinheiro no tempo e o efetivo custo de capital da empresa.


O custo de capital é o retorno mínimo que os acionistas esperam do investimento feito em uma empresa. Quando falamos de investimentos, o custo de capital é um custo de oportunidade, que é um indicador que mede a possibilidade de maior potencial de taxa de retorno dentre as alternativas disponíveis no mercado.


O lucro econômico considera o custo de oportunidade e, portanto, permite uma avaliação mais realista do negócio por parte dos acionistas.


Lucro contábil ou lucro econômico: o que interessa ao investidor?

Para o investidor, o que interessa é a geração de riqueza, logo, o lucro econômico é importante. Mas isso não significa que o lucro contábil pode ser descartado da análise. Pelo contrário, pois ele é um indicador muito importante.


A verdade é que avaliar uma empresa criteriosamente não é uma atividade simples, infelizmente. Trata-se de algo trabalhoso, principalmente porque há vários conceitos envolvidos, sendo que todos eles devem ser analisados conjuntamente.


Em todo caso, é fundamental que você, enquanto investidor, compreenda as diferenças entre lucro e riqueza e a importância desta distinção para os seus investimentos – especialmente na bolsa de valores.


Lembro ainda que o valor de uma ação também é precificado pelas expectativas do mercado, o que resulta no ajuste da cotação da ação para cima ou para baixo. É por esse motivo que vemos empresas divulgando prejuízo, mas tendo suas ações subindo na bolsa (ou empresas com lucro, mas cujo preço da ação está em queda).


Na hora de identificar em qual ação investir, portanto, é importante ter em mente que não existe receita segura, mas uma boa prática é identificar o lucro e a riqueza gerada pela empresa e avaliar as projeções para o futuro da maneira correta. Desta forma, ficará mais fácil obter o valor justo de uma ação e buscar por oportunidades no mercado.


Fonte: Josekobori.com.br/

© 2020 - Contador SC.