Buscar

Insumos da análise de balanços

Os insumos básicos do processo de análise de balanços são os relatórios contábeis elaborados periodicamente pelas empresas. Os relatórios contábeis distinguem-se em obrigatórios e não obrigatórios. Os relatórios obrigatórios são aqueles definidos pela legislação societária, sendo mais conhecidos por “demonstrações contábeis” ou “demonstrações financeiras”. A atual Lei das Sociedades por Ações determina que ao final de cada exercício social (12 meses) toda empresa deve apurar, com base nos fatos registrados pela contabilidade, as seguintes demonstrações contábeis: Balanço Patrimonial; Demonstração do Resultado do Exercício; Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados ou Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido; Demonstração dos Fluxos de Caixa; Demonstração do Valor Adicionado (companhias abertas).

As demonstrações de cada exercício serão publicadas com a indicação dos valores correspondentes das demonstrações do exercício anterior. As companhias de capital aberto (que têm suas ações negociadas em bolsas de valores) e as instituições financeiras, pela necessidade de melhor informar ao mercado em geral, devem apurar (e publicar) suas demonstrações contábeis a cada semestre. A Parte II dedica-se ao estudo da estrutura dessas demonstrações financeiras. Os relatórios não obrigatórios não fazem parte da estrutura básica das demonstrações contábeis que devem ser elaboradas para efeitos de divulgação, sendo normalmente destinados ao uso gerencial interno. Muitos desses relatórios são bastante importantes para a análise, permitindo que sejam obtidas conclusões mais completas sobre a situação da empresa. Exemplos: projeções de vendas, desempenho por produto etc. Complementarmente às demonstrações financeiras obrigatórias, as companhias de capital aberto devem responsabilizar-se também pela publicação do Relatório de Diretoria, Notas Explicativas e Parecer dos Auditores. O Relatório de Diretoria inclui informações de caráter bem geral sobre a empresa, tais como: dados estatísticos diversos, política de recursos humanos, programas de exportação, projeções financeiras, projetos de expansão e modernização, perspectivas do mercado e da empresa etc. As Notas Explicativas visam esclarecer certas informações importantes que não podem ser detalhadas nas demonstrações contábeis elaboradas. Por exemplo: composição do capital social (quantidade de ações ordinárias e preferenciais, principais acionistas etc.); detalhamento das dívidas de longo prazo (garantias, amortização, encargos financeiros etc.); participação acionária da empresa em outras empresas; principais critérios de avaliação de elementos patrimoniais (especialmente estoques) etc. Finalmente, o Parecer dos Auditores reflete se as demonstrações financeiras representam adequadamente a situação econômico-financeira da empresa, se há uniformidade com relação aos relatórios apurados em exercícios anteriores e se foram seguidos os princípios contábeis. Os comentários do auditor atribuem maior segurança aos analistas de balanços, valorizando a qualidade da informação contábil. Uma companhia de capital aberto deve apurar as seguintes demonstrações em atendimento às exigências da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), B3 e seus acionistas: Demonstrações Financeiras Padronizadas (DFP) – Este documento é composto por todos os demonstrativos financeiros referentes ao exercício social encerrado, e deve ser encaminhado ao final de cada trimestre de cada ano à CVM e à B3. Informações e Resultados Trimestrais (ITR) – São elaborados e enviados por todas as companhias listadas em Bolsa de Valores para a CVM e B3 todo trimestre. A ITR tem por finalidade permitir que o investidor acompanhe o desempenho da empresa no trimestre. Informações e Resultado Anual (IAN) – Este documento inclui, de forma mais completa, as mais relevantes informações da companhia de natureza societária, contábil, financeira e de mercado. Relatório de Administração e Parecer de Auditoria Independente relativos às Demonstrações Contábeis Anuais. Divulgação de Fato Relevante – Entende-se por Fato Relevante todo evento que possa provocar alterações nos preços de mercado das ações da companhia, tais como aquisições, fusões, alterações no controle acionário etc. Importante acrescentar que toda companhia aberta deve manter ainda uma Diretoria de Relações com Investidores com o objetivo de atender às necessidades de informações dos investidores de mercado. Assembleias Gerais Ordinárias (AGO) e Extraordinárias (AGE) de acionistas divulgadas com Edital.


ALEXANDRE ASSAF NETO Economista e pós-graduado (mestrado e doutorado) em Métodos Quantitativos e Finanças no exterior e no país. Possui o título de livre-docente pela Universidade de São Paulo (USP). Professor Emérito da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP e atua como professor e coordenador de cursos de desenvolvimento profissional, treinamentos in company e cursos de pós-graduação lato sensu – MBA. Autor e coautor de vários livros e mais de 70 trabalhos técnicos e científicos publicados em congressos e em revistas científicas com arbitragem no país e no exterior. Consultor de empresas nas áreas de Corporate Finance e Valuation e parecerista em assuntos financeiros.


Fonte: Gennegociosegestao.com.br/

Posts recentes

Ver tudo

© 2020 - Contador SC.