Buscar

Gestão Estratégica da Manutenção e suas Oportunidades diante da Crise

INTRODUÇÃO: A necessidade de se priorizar a manutenção, nos mais distintos ramos de atividade, tem aumentado em muito ao longo do tempo no Brasil. Quase que diariamente assistimos notícias sobre acidentes e outros incidentes que poderiam ser evitados, desde que processos e procedimentos de manutenção fossem, de fato, respeitados e adotados. Quedas de pontes, desmoronamento de teto de hospitais, inundações durante fortes chuvas, para apenas citar algumas ocorrências recentes. Mesmo agora, não faltam relatos de equipamentos hospitalares inoperantes por falta de manutenção. Estamos vivenciando uma pandemia do novo coronavírus que nos tem imposto preocupações de toda ordem e tipo, não se limitando às restrições de convívio social e familiar; como também a intensificação dos cuidados com a saúde e segurança; a paralisação de parte de atividades produtivas, dentre muitas outras questões correlacionadas. Diuturnamente compartilhamos as incertezas quanto ao tempo que essa crise irá perdurar e as inquietações frente a perda de vidas e os outros consequentes reflexos negativos para a economia nacional e global. Cidades desertas (ou quase), instalações fabris em grande parte paradas, shoppings com atividades comerciais suspensas, escolas e universidades fechadas, aeroportos e meios de transporte de pessoas com utilização bastante diminuída, rodovias e vias de acesso com tráfego reduzido, hotéis, pousadas, parques e outros espaços públicos fechados, fazem parte deste nunca visto antes e impensável. Nesse cenário, podemos identificar instalações e equipamentos subutilizados ou paralisados, com variadas demandas de atividades de manutenção. GESTÃO DA MANUTENÇÃO: O processo gestão da manutenção pressupõe a combinação e o inter-relacionamento de práticas de manutenção e ações de engenharia de manutenção alicerçadas em metodologias e procedimentos direcionados para a confiabilidade e disponibilidade dos sistemas técnicos e instalações. Nesse contexto, atividades como: inspeções preventivas sistemáticas; intervenções preventivas e corretivas; técnicas preditivas; tarefas de busca de falha; planejamento e controle da manutenção; análise de indicadores de desempenho operacional; compõem o grupo de práticas de manutenção presentes nos mais variados campos de atividade sejam em instalações industriais, em instalações de infraestrutura urbana e de transportes e edificações em geral. Pensar e agir estrategicamente o planejamento, a execução, o controle e a análise das atividades de manutenção constitui fator primordial, que só ganha importância. Cabe a gestão da manutenção, não apenas, mas, principalmente, na atualidade, posicionar-se como componente estratégico fundamental de participação na cadeia de responsabilidades e objetivos de qualquer organização, seja de caráter privado ou público.


GESTÃO ESTRATÉGICA DA MANUTENÇÃO: Uma gestão estratégia requer o estabelecimento e a priorização de ações, o ordenamento e a alocação de recursos da organização, com base em suas competências e deficiências internas, mudanças no ambiente e ações realizadas pelos concorrentes. Sendo assim, pensar estrategicamente pressupõe, dentre outras ações, a análise da situação atual e futura, as mudanças no ambiente interno e externo, para a tomada de decisões assertivas para a organização e o negócio. Como pressuposto da gestão estratégica da manutenção tem-se a busca incessante pela melhoria do desempenho dos sistemas técnicos e instalações, com objetivo de atingir-se os melhores e mais desafiadores índices de confiabilidade e disponibilidade operacional.


A necessidade de realização das atividades de manutenção, algumas vezes se contrapõem às necessidades da produção e da utilização das instalações, e, com essa dicotomia, convivem: manter os equipamentos e instalações funcionando, embora necessitando algumas vezes deixá-los indisponíveis para a realização das tarefas de manutenção. Neste momento que as instalações e equipamentos se encontram, na totalidade ou em parte, disponíveis para a realização das tarefas de manutenção é perfeitamente apropriado e estratégico que se ocupe essa janela de oportunidades que nos é apresentada, para a realização de atividades de manutenção, sem deixar de lado as orientações de distanciamento social e demais cuidados com a saúde requeridos. Uma análise detalhada do processo e das atividades de manutenção permitirá identificar os serviços pendentes de realização por força das necessidades de produção ou utilização das instalações, tais como: Manutenções programadas que possam ser antecipadas; Tarefas de manutenção corretivas pendentes; Implantação de melhorias no projeto, particularmente envolvendo uma maior quantidade de equipamentos desligados, senão totalmente; Realização de tarefas de busca de falha em sistemas de proteção e segurança, que quando realizadas com as instalações em funcionamento podem exigir, por vezes, grandes mobilizações e alterações nas atividades de rotina e produção.

Sem ter a presunção de querer esgotar as inúmeras ações de manutenção que podem ser implementadas, apresentamos, a seguir, uma lista com sugestões de algumas das iniciativas que, de forma mais específica, podem melhor ilustrar as oportunidades para uma gestão estratégica e eficaz da manutenção, que efetivamente urgem e emergem diante da crise atual. OPORTUNIDADES PARA A MANUTENÇÃO:

Inspeção e eventual revisão de pontes, viadutos, estradas e vias de acesso, em aproveitamento a redução substancial do tráfego em estradas e cidades. No mesmo sentido, reparos na sinalização vertical e horizontal, como também desobstrução de valas e bueiros, e limpeza e sinalização de acostamentos; Tarefas de busca de falha nos sistemas de segurança como grupos diesel de emergência e sistemas de proteção em indústrias, bem como avaliação e alteração de layout de produção, lubrificação e limpeza de máquinas e equipamentos; Tarefas de busca de falha nos sistemas de segurança como grupos diesel de emergência e sistemas de proteção em shoppings e aeroportos, bem como a revisão e reparos nos sistemas de fornecimento de energia elétrica, instalações sanitárias, sistemas de ar condicionado, acessos e escadas rolantes; Avaliação e implantação de melhorias no projeto de linhas de ar, líquidos, gás e vapor de instalações industriais, visando facilitar futuras manutenções e ações preventivas no caso de falha com isolações de trechos dessas linhas; Limpeza e reparo nas instalações de escolas e universidades, como instalações sanitárias, pintura em geral, aberturas e portas, além de eventuais reparos em equipamentos didáticos, na rede de energia elétrica e de dados; Revisão e reparos no sistema rodante, motores, assentos e janelas, sistemas de sinalização de ônibus, de composições de trens e metrôs; Limpeza e reparo em instalações de hotéis e pousadas, como rede de energia elétrica, instalações sanitárias, pintura em geral, aberturas e portas, como também sistemas de ar condicionado. *Fonte: autor.

CONSIDERAÇÕES FINAIS: Independentemente de qualquer estimativa de quando a pandemia do novo coronavírus passará, apesar de todas as dificuldades desta triste realidade, é muito provável e indicado que a retomada precise ocorrer de forma gradual, com intensidade diferenciada para cada área e/ou atividade. A vida humana é e deverá ser sempre a nossa prioridade. Contudo, embora existam posições diferenciadas quanto à pertinência e a intensidade das restrições a serem adotadas, todos são unânimes em prever consequências danosas para os processos de recuperação econômico e social. Cada organização industrial, empresa de comércio, instituição de ensino, cidade, concessionária de rodovia, empresa de transporte, dentre outras, identificará ações de manutenção específicas para o seu caso, que poderão ser executadas em aproveitamento a esta crise de paralisação e/ou diminuição substancial de atividades. Avaliar a aplicabilidade de novas tecnologias de informação e inovação na manutenção como complemento crucial para a melhoria dos processos, valendo-se desse momento para repensar, rediscutir, redesenhar a gestão da manutenção visando o enfrentamento dos futuros desafios. De forma similar para as organizações e organismos de atendimento ao público, disponibilizar de ambientes mais seguros e organizados contribuirá de forma decisiva para a acelerar o retorno à normalidade, seja nos deslocamentos nos centros urbanos para trabalho e lazer, na utilização dos espaços públicos, nas atividades de ensino, ou mesmo em viagens nacionais e internacionais. Realizar tarefas de manutenção, em aproveitamento às condições favoráveis de disponibilidade da instalação e dos ambientes públicos, configura-se como importante estratégia de se apropriar desta crise como uma oportunidade, podendo se transformar em vantagem competitiva para as organizações, uma vez que essas se encontrarão capacitadas para disponibilizar os meios de produção com plena confiabilidade operacional. Enon Laércio Nunes Doutor em Engenharia Mecânica. Professor, Consultor e Pesquisador da área de manutenção. Autor do livro “Saberes da Manutenção: uma visão sistêmica”.


Fonte: Sustentare

Posts recentes

Ver tudo

Taxa de desconto, o toque de arte em valuation

Quando você abre a carteira e saca uma nota de dez reais, tende a achar que a quantia não tem custo algum — o valor, afinal, está disponível e pode ser usado a qualquer momento. Mas esse é um erro com

Compra e venda de empresas sob controle comum

Quando há compra e venda de empresas (parte ou o todo do capital) entre entidades denominadas “terceiras”, não pertencentes ao mesmo grupo econômico, sabemos que os processos de avaliação são normalme

Encontro histórico entre gestores de recursos

Atravessando o tempo e superando as barreiras da vida, eis que quatro grandes gestores de recursos se encontram para um bate-papo informal: Benjamin Graham (1894–1976), Warren Buffet (1930 -), George

© 2020 - Contador SC.