Buscar

Falácia contábil e técnica do banco de horas

Em minha dissertação de mestrado de 2006 intitulada ‘Passivo Contábil do Banco de Horas’, cuja pesquisa teve uma amostra de 104 empresas do universo existente em agosto de 2005 de 366 das empresas que tinham ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), apontando um nível de confiança de 92% e margem de erro de 8% considerado dentro dos parâmetros estatísticos de levantamentos quantitativos em ciências sociais, tivemos conclusões importantes.


Texto completo: Clique aqui


Carlos Alberto Serra Negra


Fonte: Jornal Brasileiro de Contabilidade