Buscar

Cresce o número de golpistas no mercado financeiro durante a pandemia

Dayvison Casal revela técnicas comuns dos "gurus" do investimento


Com a explosão de jovens entre 16 e 25 anos na Bolsa de Valores, atualmente mais de meio milhão de pessoas, cresce também o número dos chamados "Fake Traders", pessoas com conhecimento sobre o mercado financeiro e que se aproveitam dos inexperientes para ganharem dinheiro de forma inescrupulosa.


Só em 2020, em plena pandemia, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) recebeu 324 denúncias de fraudes financeiras, 161% a mais do que em 2018. E isso não significa, porém, que "apenas" 324 pessoas foram impactadas, já que cada uma dessas queixas pode ter vários reclamantes.


Também segundo a CVM, o número de pessoas físicas que fizeram pelo menos uma operação de day trade levou cinco anos, de 2013 a 2018, para aumentar em 144%. Daí em diante, o crescimento escalou: foi de 108,8% de 2018 para 2019 e já disparou mais 100% em 2020, em grande parte por conta da pandemia. Em termos absolutos, já são mais de 1 milhão de brasileiros que ao menos experimentaram esse tipo de operação até o ano passado.


"Os resultados são mascarados. Para convencer um grande número de pessoas de que os ganhos são altos eles manipulam as telas de demonstração nos seus canais ou perfis. Quem segue e tem pouco conhecimento sobre o sistema não tem como descobrir que se trata de um show de mágica. Tudo ilusão", conta o especialista em análise gráfica Dayvison Casal.


O objetivo, segundo Dayvison, é atrair o maior número de interessados à prática de Day Trading, que envolve a venda de ações ou outros produtos financeiros no mesmo dia, para ganhar com a oscilação do mercado.


"O foco é pegar quem está desesperado e depende de uma grande quantidade de dinheiro imediatamente. Pessoas que estão desempregadas ou que querem lucro rápido. A pandemia foi um prato cheio para esses golpistas", explica.


Matheus da Silva foi uma das vítimas dos golpistas, "Resolvi fazer um curso individual online com um trader que sempre postava os resultados no Instagram e redes sociais. Juntei dinheiro e investi nas aulas. Enviei o comprovante e no mesmo dia já não recebi respostas. Fiquei aguardando a confirmação por e-mail como tinham falado no passo a passo e nada", contou.


Ainda segundo Matheus, quando percebeu que havia caído em uma fraude já era tarde. Perdeu absolutamente todo o dinheiro investido.


"Comecei a me desesperar quando entrei em contato por ligações e o número só dava na caixa postal. Entrei nas redes sociais para buscar ajuda e quando vi estavam desativadas. Fiquei muito mal por isso tudo, até tive complicações de saúde", conta.


Entre as práticas mais comuns estão a ocultação dos saldos e entradas nas operações com valores reduzidos, contrastando com a vida de ostentação e luxo apresentado pelo trader. Com a ajuda das redes sociais é criada uma aura de riqueza e sucesso permanente, levando milhares de pessoas a comprarem cursos e pagarem por consultorias que não condizem com a experiência do profissional.


"Tudo isso é pago com o dinheiro dos investidores, com objetivo de induzi-los a acreditar que qualquer um que seguir por esse caminho vai atingir esse status. Em muitas das vezes os carros são alugados, bem como os outros bens. Assim que a maré vira negativamente para o lado deles, todos somem e o estilo de vida também", esclarece o investidor.


Pesquisas da Fundação Getulio Vargas (FGV) já provaram que menos de 1% das pessoas que se aventuram no day trade têm lucro, com mais da metade dos traders experientes perdendo dinheiro com a prática.


"Não existe milagre. Não existe dinheiro imediato. A menos que você jogue na Mega Sena ou receba uma boa herança familiar a única forma de ficar rico é com muito esforço e dedicação. Eu mesmo, antes de optar por esse estilo de vida, tinha consciência de que poderia perder tudo se não estudasse diariamente o mercado e me consultasse com quem realmente entende. Apanhei muito antes de chegar onde queria e só recomendo buscar esse caminho se estiver focado em trabalhar com isso de forma intensa", conta Dayvison.


Fonte: Terra