Buscar

Considerações sobre o custo unitário da produção

A contabilidade geral se divide em diversas outras aplicações, uma delas é a de custo ou da produção. Temos mais tipos de contabilidade como a contabilidade industrial, de serviços, bancária, comercial, pecuária, agrícola, ambiental, pública, governamental, associativa, etc., todavia, para nosso fim de limitação tratar ou trabalhar a contabilidade de produção, e a de custos já transparece de bom tamanho.


Recentemente fizemos uma singela colaboração com a contabilidade da produção, favorecendo a um preenchimento da falta de tratamento sobre este tipo de análise, muitas vezes esquecido, mas que chamamos também de “gestão da produção”.



Uma das bases da contabilidade de produção e a de custos é a verificação do custo unitário.


Não interessa quanto se produza, se vamos tecer considerações sobre os custos gerais variáveis, em relação a uma determinada quantidade produzida, o custo unitário sempre será o mesmo.


Isso se ostenta numa linguagem geral.


Exemplifiquemos com um caso prático e real, no qual temos os seguintes custos gerais que contarão no custo unitário:


Tabela 1: Custos variáveis de uma determinada indústria.


Custos variáveis Valores

Compra de embalagem 1.000,00

Compra de materiais 60.000,00

Compra de matéria-secundária 15.000,00

Descontos concedidos 2.800,00

Café e Lanches 6.000,00

Mão-de-obra direta 50.000,00

Valores 134.800,00

Fonte: Elaboração própria.


Aqui temos, pois, os custos gerais classificados numa indústria. Especialmente os variáveis que nos interessam mais.


O primeiro passo para se calcular um custo unitário é saber quais são os tipos de custos, e entender bem o volume da produção, ou o tipo de atividade, para se proceder aos custos fixos e variáveis.


Esta parte é a mais perigosa pois se não se souber classificar bem os custos, a análise praticamente não terá o seu efeito.


Um erro na classificação, leva a um erro na análise e consequentemente no diagnóstico da produção.


Poderíamos fazer muito mais coisa só com esta informação, todavia, vamos mensurar o custo unitário, considerando que ele poderá ser menor conforme o relatório de produção.


O relatório que nos foi transmitido na época era este:


Tabela 2: Relatório de produção.


Produtos Unidades

A 25.000

B 17.000

C 14.000

D 12.500

E 75.000

Total 143.500


Sabemos que o total de unidades é de 143.500 dos cinco produtos.


Para sabermos o custo unitário é muito simples nos bastaria fazer a seguinte divisão:


Quociente de custo unitário


Custo variável


Unidades produzidas



Então com tais informações de custo variável e unidades produzidas fica muito simples calcular o custo geral unitário:


Custo unitário: 134.800,00 ¸ 143.500 = R$ 0,94



Cada unidade custa no total cerca de R$ 0,94. Aqui encontramos o custo unitário mas e o custo de cada produto? Será em tese esta mesma média de R$ 0,94 considerando, pois, a situação do empreendimento na própria visão total de produção. Aqui podemos provar, primeiro numa participação simples:


Tabela 3: Participação da produção.


Produtos Unidades % participação

A 25.000 17,42%

B 17.000 11,85%

C 14.000 9,76%

D 12.500 8,71%

E 75.000 52,26%

Total 143.500 100,00%

Fonte: Elaboração própria.



Aqui a participação percentual se obtém de modo simples, a relação de cada unidade no total vezes 100, logo no primeiro exemplo vemos que 25.000 representa em 143.500 unidades cerca de 17,42% que é o produto A, depois 17.000 representa 11,85% do total no produto B, e assim por diante.


Por esta mesma proporção podemos distribuir os custos variáveis, para sabermos como se distribuir os custos gerais variáveis:


Tabela 4: Participação dos custos variáveis conforme a estrutura da produção.


Produtos Unidades % participação Participação do custo

A 25.000 17,42% 23.484,32

B 17.000 11,85% 15.969,34

C 14.000 9,76% 13.151,22

D 12.500 8,71% 11.742,16

E 75.000 52,26% 70.452,96

Total 143.500 100,00% 134.800,00

Fonte: elaboração própria.



Por fim se dividirmos este valor distribuído pelo número de unidades daria os mesmos R$ 0,94 que seria a média do custo unitário, vejamos:


Tabela 5: Custo unitário depois do rateio e distribuição.


Produtos Rateio do custo Unidades Custo unitário (divisão da coluna de rateio pelas unidades)

A 23.484,32 25.000 0,94

B 15.969,34 17.000 0,94

C 13.151,22 14.000 0,94

D 11.742,16 12.500 0,94

E 70.452,96 75.000 0,94

Total 134.800,00 143.500 0,94

Fonte: Elaboração própria.



Aqui o custo será o mesmo tanto, pois, se considera nele a proporção do rateio distribuído. Jogar o custo unitário conforme a proporção não resolveria o problema do custo geral nesta distribuição, porque o custo constante e médio é o de R$ 0,94. Portanto este é o custo unitário.


A lei geral do custo unitário se sustenta, ou seja, o custo geral unitário será o mesmo considerando os valores totais com as unidades totais, e resultará constante considerando as distribuições de custos variáveis com as respectivas unidades.


Portanto, há outros modos de vermos os custos, uma delas é pela concentração e a outra é apropriando esta com o custo unitário médio caso a empresa queria trabalhar com esta mesma média encontrada de R$ 0,94.


Mas a base fundamental para a contabilidade de produção é a identificação do custo médio sem dúvida alguma, sendo um dos pontos iniciais da gestão e análise de custos e produção.


Por: Rodrigo Antonio Chaves


Fonte: Profrodrigochaves.com.br/