Buscar

Como investir seu dinheiro: 5 erros que você deve evitar

É natural que investidores iniciantes tenham dúvidas sobre como investir seu dinheiro. Até mesmo aqueles com alguma bagagem vivem momentos de incerteza e têm necessidade de fazer revisões de estratégias. Independentemente do estágio em que você se encontra, há alguns erros que devem ser evitados.


No artigo de hoje, vou apresentar os cinco maiores erros na busca pela multiplicação da riqueza. Se você não sabe exatamente como investir seu dinheiro, conhecer os principais equívocos é um bom começo.


Erros fazem parte do aprendizado

Aprender com os erros é uma virtude que se mostra muito importante nas mais diversas esferas da vida. Se você já começou ou pretende iniciar sua jornada de investimentos, tenha essa ideia em mente. Qualquer investidor vai errar em algum momento. Isso faz parte do processo de amadurecimento, à medida que adquirimos novos conhecimentos a respeito do mercado. O bom investidor é aquele que mais acerta do que erra, e colhe resultados desse processo.


Os cinco erros que vou apontar aqui devem ser evitados – é claro. Mas é natural que eles apareçam, principalmente no início da construção de seu patrimônio. Conforme você ganha mais experiência, passa a lidar melhor com as adversidades e consegue fugir desses equívocos mais comuns.


Erro nº 1: Focar apenas na rentabilidade

A busca por investimentos mais rentáveis faz parte do bom planejamento financeiro. O problema é quando isso toma uma proporção desmedida e se torna o único parâmetro para definir onde alocar os recursos disponíveis.


O foco unicamente na rentabilidade é um erro recorrente entre as pessoas que estão dando os primeiros passos no mercado. Ansiosas por resultados expressivos, esquecem-se de considerar outros fatores como a liquidez e o risco.


Um exemplo é a busca por CDBs (Certificados de Depósito Interbancário) que remuneram em 120% ou 130% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). À primeira vista, parece uma decisão inteligente, mas é preciso avaliar o cenário global de cada investimento. Nesse tipo de produto, com esse nível de remuneração, o investidor tem de abrir mão da liquidez em nome da rentabilidade superior. Portanto, a decisão por uma aplicação desse tipo deve ser embasada no planejamento e na possibilidade de não contar com essas reservas durante o prazo imposto pelo investimento.


Se você estiver construindo objetivos de médio e longo prazos, essa pode ser uma alternativa interessante. Porém, se a sua necessidade for mais imediata, a liquidez precisa ser levada em consideração.


Erro nº 2: Seguir dicas variadas

Buscar referências e informações é uma atitude saudável para todo investidor, seja ele iniciante ou veterano. Mas isso não deve ser confundido com a confiança cega em dicas de diversas pessoas.


Muitos se perdem em meio ao caldeirão de informações disponíveis, principalmente na internet. Dessa forma, acabam variando suas referências e ficam com dificuldade para focar em sua estratégia central.


Perceba que mesmo as orientações de um especialista devem ser encaradas com uma dose de desconfiança. Consultores financeiros podem ter boas sugestões para seus investimentos, mas a alternância na linha de raciocínio tende a atravancar sua estratégia.


Minha dica é manter o seu planejamento e não “pular de galho em galho”. Algumas sugestões pontuais parecem oportunas, mas há grandes chances de comprometer seus planos de investimento.


Em resumo, não é recomendável arcar com o custo de mudanças frequentes, pois isso fará suas aplicações patinarem.


Erro nº 3: Ter uma carteira passiva

A fidelidade a uma linha estratégica nos investimentos não deve levar à passividade. Muitas pessoas veem sua carteira perder fôlego por falta de renovação e ajustes pontuais.


Veja uma situação que tem sido recorrente na condução de aplicações por investidores iniciantes. Eles dão o primeiro passo corretamente e abrem uma conta em uma corretora ou em um banco digital. Em seguida, montam sua carteira com base em seu perfil de investidor.


Mas o problema começa justamente nessa etapa, porque o investidor simplesmente se esquece da carteira e não trabalha em sua manutenção. Na maioria das vezes, falta tempo e disciplina para ouvir as orientações do assessor de investimentos e fazer as adequações necessárias.


Ressalto que boas estratégias funcionam bem em longo prazo, quando o investidor mantém sua carteira ativa. A dica aqui é não confundir longo prazo com uma atitude passiva. Ajustes pontuais na carteira são bem-vindos, principalmente quando seguem a ideia do rebalanceamento.


Erro nº 4: Seguir a manada

“Se aquela estratégia está funcionando para tanta gente, com certeza posso me beneficiar dela também.” Essa ideia tão recorrente é uma grande armadilha para os investidores. A atitude de seguir a manada pode parecer sinônimo de aproveitar boas oportunidades, porém, nem sempre gera o resultado esperado.


Costumo dizer que esse efeito de manada faz com que muitos “peguem a poeira” dos que vão à frente. Em outras palavras, o mercado já sinalizou que aquele investimento é promissor, mas a consequência da novidade perde força. Por isso, os ganhos tendem a se diluir com o passar das semanas.


Lembre-se também que suas escolhas de investimento devem ser coerentes com seus objetivos e seu planejamento. Uma estratégia que tem se mostrado vencedora não necessariamente se encaixará em sua carteira ou em seu perfil. Um investimento muito arrojado, por exemplo, não é recomendado para os mais conservadores.


Erro nº 5: Confiar cegamente em seu assessor

Quando uma pessoa abre conta em um banco digital ou corretora, recebe uma série de orientações iniciais. As lições transmitidas pelo assessor encarregado da sua conta devem ser ouvidas com atenção, é claro. No entanto, o que não recomendo é tomar como regra absoluta as dicas passadas por esse profissional.


Investidores devem estar sempre prontos para comparar as possibilidades que o mercado oferece. Atenção: isso não significa mudar suas referências a todo momento – conforme expliquei anteriormente. O mais correto é estar aberto a novas possibilidades sem perder a coerência em suas escolhas.


Minha recomendação é que você procure fazer reavaliações periódicas do seu perfil de investidor. Isso vai lhe ajudar na manutenção da carteira e em seu contínuo processo de aperfeiçoamento. E tenha sempre uma postura proativa para conservar seu patrimônio em crescimento de forma sólida.


Como investir seu dinheiro? Com inteligência!

Os cinco erros apresentados neste artigo não são os únicos cometidos em uma jornada de investimento. Mas é fundamental conhecê-los e saber evitá-los, para permanecer com escolhas consistentes.


Fonte: Gustavocerbasi.com.br/

© 2020 - Contador SC.