Buscar

Alterada a norma que dispõe sobre o fornecimento de informações para fins de concessão de créditos

Alterada a norma que dispõe sobre o fornecimento de informações para fins de concessão de créditos a ME e EPP no âmbito do Pronampe


A Portaria RFB nº 1.191/2020 alterou a Portaria RFB nº 978/2020, que dispõe sobre o fornecimento de informações para fins de análise para a concessão de crédito a microempresas e empresas de pequeno porte no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), instituído pela Lei nº 13.999/2020.


De acordo com as alterações, ora incluídas, destacamos que:


a) na hipótese de a microempresa ou a empresa de pequeno porte ter sido excluída do Simples Nacional durante o ano-calendário de 2019, a receita bruta será apurada com base nos valores declarados:

a.1) por meio do PGDAS-D, até o dia anterior à data em que a exclusão da empresa tornou-se definitiva; e

a.2) com base na ECF, a partir do dia de exclusão.

a.3) aplica-se o disposto na letra “a”, para fins de apuração da receita bruta, à microempresa e à empresa de pequeno porte cuja opção pelo Simples Nacional tenha sido efetivada durante o ano-calendário de 2019.

b) será utilizado na geração do hash code o padrão SHA-256, e seu cálculo será feito com base nos seguintes dados:

b.1) o número de inscrição da empresa no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ);

b.2) o valor total da receita bruta apurada para o ano-calendário de 2019, para microempresas e empresas de pequeno porte, independentemente da opção pelo Simples Nacional e do tempo de constituição;

b.3) valor total da receita bruta relativa ao ano-calendário de 2018 ou de 2019, para microempresas e empresas de pequeno porte não optantes pelo Simples Nacional, constituídas há 1 ano ou mais; e

b.4) para microempresas e empresas de pequeno porte constituídas há menos de 1 ano:

b.4.1) o valor proporcional da receita bruta relativa ao ano-calendário de 2019, correspondente ao valor total da receita declarada por meio do PGDAS-D ou da ECF, para o ano-calendário de 2019, dividido pelo número de meses em atividade em 2019; e

b.4.2) o valor do capital social.

b.5) para as microempresas e as empresas de pequeno porte optantes pelo Simples Nacional constituídas há mais de 1 ano, o hash code será calculado sobre o texto composto pela concatenação do número de inscrição no CNPJ da empresa, sem pontos, barras ou traços, e o valor da receita bruta apurada, sem espaços ou símbolos, com 14 dígitos, incluindo zeros à esquerda, sendo os 2 últimos reservados para os centavos, separados por vírgula.

b.6) para as microempresas e as empresas de pequeno porte constituídas há menos de 1 ano, o hash code será calculado sobre o texto composto pela concatenação do número de inscrição no CNPJ da empresa, sem pontos, barras ou traços, o valor do capital social, o valor proporcional da receita bruta a que se refere a letra “b.4.1” e o valor da receita bruta apurada, sem espaços ou símbolos, cada um desses valores com 14 dígitos, incluindo zeros à esquerda, sendo os 2 últimos reservados para os centavos, separados por vírgula.


(Portaria RFB nº 1.191/2020 - DOU 1 de 17.07.2020)


Fonte: Editorial IOB

Posts recentes

Ver tudo

7 meios de internacionalizar as organizações

Todas as organizações – desde as pequenas até as gigantescas – têm uma variedade de meios para se envolverem em negócios internacionais. Trata-se de desenvolver mercados para seus produtos em outros p

Planejamento estratégico, agora é hora!

Vou fugir dos clichês que existem para os momentos de crises em chinês, japonês, javanês. Vou me concentrar no que realmente importa, no que devemos fazer num momento de crise como o que estamos viven

© 2020 - Contador SC.