Buscar

6 lições de vida do bilionário Warren Buffett

“São 12h35 em Omaha, Nebraska, e eu estou almoçando com Warren Buffett.”


Essa é a primeira linha do meu novo livro, “The Lemonade Life” (“A Vida de Limonada”, em tradução livre). É assim que introduzo uma conversa que tive com o 3º homem mais rico dos Estados Unidos segundo a lista The Forbes 400.


Comemos no Piccolo’s, que é um de seus restaurantes favoritos, onde ele e Bill Gates também jantaram juntos. Buffett gentilmente recebeu eu e meus colegas da Wharton Business School, também nos convidando para a sede da Berkshire Hathaway, companhia que supervisiona e gere um conjunto de empresas subsidiárias.


Que ideias incríveis Buffett compartilharia? Seus pensamentos sobre a economia, investimentos ou os jogos de cartas com Bill Gates? Nós ouvimos todas essas coisas. Quanto mais eu ouvia, porém, mais entendia que a verdadeira “sabedoria” era menos sobre negócios e mais sobre viver a vida com um propósito, nos seus termos, com as coisas que você gosta, como um copo de cerveja.


Aqui estão as maiores conclusões do meu almoço com Warren Buffett:


1. Imensa gratidão


Buffett é grato por tudo na vida, estar vivo, seus negócios, sua família e seu impacto beneficente. Esse nível profundo de gratidão ajuda a guiar o espírito generoso dele.


Conselho: Quando você lidera com gratidão, é uma experiência que traz humildade.


2. Perspectiva positiva


Warren Buffett é genuinamente feliz. Ele acredita no seu negócio, nas empresas em que investe, na importância de uma perspectiva de longo prazo. Ele não aposta contra as coisas, mas a favor delas.


Conselho: Uma mente aberta significa acesso a mais oportunidades.


3. Assumir riscos é importante


Warren Buffett está acostumado a se arriscar, mas não do jeito que você imagina. Pensamos nos bilionários como seres únicos que fazem apostas enormes e estão dispostos a “arriscar tudo” para obter um grande retorno. No entanto, Buffett assumiu diferentes tipos de riscos, os calculados. Ele é um investidor de valor, usa certos princípios para orientar suas decisões de investimento e abordagem de risco.


Conselho: Quando você tem um conjunto de princípios, já sabe como avaliar os riscos.


4. Fazendo as coisas à sua maneira


Warren Buffett é realmente bom em ser Warren Buffett. Ele não está tentando impressionar ninguém ou viver a vida de outra pessoa. No almoço, não havia assistentes, guarda-costas ou motoristas de limusine, ele dirigiu seu próprio carro. Ele não trabalha em Wall Street, mora na mesma casa de Omaha que comprou em 1958 por US$ 31.500. Não janta caviar e bebe champanhe, prefere cheeseburgers e cerveja.


Conselho: Há uma certa liberdade que vem com a independência.


5. Ele sabe no que é bom


Muitas pessoas escolhem os trabalhos que tenham bons salários. Esse tipo de pessoa frequentemente busca uma posição de prestígio ou o que seus colegas procurariam. Imagine se todos se tivessem a ocupação na qual pudessem se destacar. Warren Buffett é realmente bom em ser um investidor. Costuma colocar dinheiro em empresas que entende e evita as que não compreende. Ele certamente não está seguindo os passos de quem investe nas últimas tendências.


Conselho: A vida é mais eficiente quando você sabe quem você realmente é.


6. Apaixonado pelo trabalho


É fácil confundir Warren Buffett com um empresário midiático, ele está frequentemente na televisão, já foi fotografado comendo em fast foods e ainda é o anfitrião de uma famosa reunião anual.


Não se engane: Warren Buffett não é um exibicionista, é um trabalhador que entende os detalhes, analisa e conhece seus negócios intimamente. Ele pode contar tanto sobre o primeiro investimento que fez quanto o último.


Conselho: Não há atalhos para a grandeza, e não se pode escapar do trabalho árduo.


Fonte: Forbes

© 2020 - Contador SC.